domingo, 26 de julho de 2009

Dormente

Acordo de tarde sono covarde
De manhã me deito
Desperto
De perto ninguém é cedo
De longe nenhum tem medo
De todos quase
Adormeci ontem
Levantei e sonhei que amanhã é outro dia

Ah, que vontade de dormir e acordar e acordar e dormir
Sem sono de acordo
E perambular sonâmbulo
Vestido de insônia
Despido de mim

7 comentários:

  1. também adorei! Que coisa boa ler suas poesias de novo!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo. Um dia eu te mostro as minhas....

    ResponderExcluir
  3. Belo poema, Brunoq!

    Alma e corpo dormentes!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom ver uma poesia sua depois de tanto tempo...
    te amo!!!

    ResponderExcluir